LAPAROSCOPIA 

dr rogerio felizi - LAPAROSCOPIA.jpg

O avanço tecnológico das ultimas décadas possibilitou o surgimento das técnicas minimamente invasivas como a vídeo histeroscopia, videolaparoscopia e as cirurgia robótica.


A videolaparoscopia é realizada através da infusão de gás carbônico (CO2) na cavidade abdominal e pélvica, procedimento esse chamado pneumoperitôneo que possibilita a realização da cirurgia sem a abertura da parede abdominal. A utilização de equipamentos para captação e transmissão de imagens para sistema de vídeo são fundamentais para a equipe médica visualizar o interior da cavidade abdominal e realizar as manobras necessárias.
 

O avanço nas técnicas laparoscópicas ao longo dos últimos anos, possibilitou a realização de cirurgias mais complexas e seguras, além de, menor utilização de medicações analgésicas, menor tempo de internação e retorno mais precoce das pacientes as suas atividades habituais.
 

É muito importante lembrar que para realização de cirurgias laparoscópicas é necessária disposição de todo material tecnológico, equipe treinada e habilitada para realização destes procedimentos, assim como indicação cirúrgica precisa.

As principais indicações de realização de laparoscopia para ginecologia são:

• Dor pélvica aguda: DIPA , gestação ectópica

• Dor pélvica crônica: aderências, endometriose

• Endometriose ( diagnóstico e tratamento )

• Miomas uterinos ( diagnóstico e tratamento )

• Massas pélvicas

• Cistos ou tumorações ovarianas

• Anomalias mullerianas

• Infertilidade

• Planejamento familiar ( laqueadura tubarea)

dr rogerio felizzi - VIDEOLAPAROSCOPIA.jpg

ENDOMETRIOSE X LAPAROSCOPIA

Tradicionalmente a via cirúrgica mais utilizada para abordagem da endometriose durante muitos anos foi a laparotomia, porem, a partir da década de 80 com o surgimento da videolaparoscopia, os cirurgiões passaram a utilizar esta via para o diagnostico e tratamento da endometriose. Por tratar se de uma técnica inovadora para época a videolaparoscopia enfrentou inúmeras criticas e objeções, porem, ao longo dos anos mostrou se superior a
laparotomia principalmente por apresentar menores índices de infecção, utilização de menores doses de analgésicos, internações mais curtas, incisões mais estéticas, além de, melhor recuperação pós operatória.

Atualmente a videolaparoscopia é utilizada em muitos hospitais para abordagem cirurgica da endometriose, para realização desta técnica alguns fatores são importantes, entre eles: Equipe médica treinada e habilitada para realização de videolaparoscopia Estrutura física e equipamentos hospitalares adequados para realização da abordagem laparoscópica Condições clinicas favoráveis para utilização da técnica laparoscópica

dr rogerio felizi - laparoscopia.jpg

A técnica laparoscópica consiste na realização do procedimento cirúrgico através de pequenas incisões realizadas na parede abdominal por onde são introduzidos os materiais utilizados durante o procedimento. Para realização do procedimento é necessário a distensão da cavidade abdominal com gás carbônico ( CO2 ). As imagens do interior da cavidade abdominal são captadas e transmitidas até uma tela por um equipamento de vídeo, através da qual o médico cirurgião acompanha cada procedimento executado.


O aprimoramento dos equipamentos e materiais ao longo dos anos permitiu ao cirurgião imagens mais claras e definidas e a realização de procedimentos mais seguros.


É muito importante deixar muito claro que a utilização da técnica laparoscópica para abordagem da endometriose deve ser individualizada para cada paciente e depende da habilidade da equipe cirúrgica e disponibilidade de equipamentos e materiais necessários para realização do procedimento. Em algumas situações especiais como múltiplas aderências abdominais ou condições clinicas inadequadas a utilização da técnica tradicional (laparotomica) pode ser necessária.

LAPAROSCOPIA X MIOMAS UTERINOS

O tratamento cirúrgico dos miomas uterinos pode ser dividido em radical ou definitivo com a retirada do corpo uterino chamado de histerectomia ou em conservador com a retirada dos miomas e preservação do corpo uterino. A escolha pela técnica definitiva ou conservadora depende principalmente do desejo reprodutivo da paciente, idade da paciente, tamanho, localização e numero de miomas e presença ou não de sintomas clínicos.


O tratamento cirúrgico conservador esta indicado principalmente nas mulheres com desejo reprodutivo.


A miomectomia pode ser realizada pela técnica convencional através da abertura da parede abdominal (laparotomia), ou pelas técnicas minimamente invasivas (histeroscopia, laparoscopia ou cirurgia robótica).
 

O tratamento cirúrgico definitivo ou histerectomia (retirada do corpo uterino), esta indicada nos casos de falha do tratamento clinico medicamentoso ou falha no tratamento cirurgico conservador (miomectomia) associado a permanência do sangramento uterino anormal em mulheres com prole constituída e sem desejo de engravidar.
 

A escolha da técnica cirúrgica depende do tamanho e localização dos miomas, presença de cirurgias anteriores, condições clinicas da paciente, habilidade do cirurgião e disponibilidade de materiais e equipamentos.
 

As principais vantagens das técnicas minimamente invasivas (histeroscopia, laparoscopia ou robótica) são a menor permanência hospitalar, diminuição das doses de analgésicos, melhor recuperação pós operatória e retorno mais rápido as atividades.