top of page
  • Foto do escritorproje24

ENDOMETRIOSE e dor na relação sexual


O que deveria ser prazeroso torna-se uma experiência negativa. A dor na relação sexual é sintoma comum da endometriose, doença inflamatória que ocorre quando o tecido que reveste o útero, o endométrio, se encontra fora da cavidade uterina, como no peritônio (membrana que reveste o abdômen por dentro), ovários, vagina e até mesmo a bexiga e o intestino. O sintoma mais frequente, é a cólica menstrual (dismenorréia), ou dores e sintomas que de alguma maneira estejam diretamente relacionados com a menstruação. Os sintomas podem aparecer de forma progressiva, começando com uma dor de menor intensidade que vai piorando com o passar dos ciclos menstruais, mas também podem iniciar-se com dores intensas a depender da gravidade de cada caso.

Em algumas pacientes, as dores são incapacitantes, impedindo assim que essas mulheres exerçam suas atividades habituais e atividade física.

Outro sintoma que deve ser identificado como um sinal de alerta, é a dor durante a relação sexual (dispareunia), que na endometriose, se caracteriza pela dor quando o pênis toca o fundo da vagina e pode estar mais relacionada ao período pré-menstrual.

As cólicas menstruais que caracterizam a endometriose não melhoram totalmente com o uso de medicação, podem apresentar-se muito severas e requerer repouso. Além de provocar dores fortes, a endometriose também pode comprometer a vida sexual do casal. Como provoca dor pélvica, às vezes contínua, e muito desconforto durante a relação sexual, é comum a mulher apresentar irritabilidade, tristeza, angústia e depressão, passando a evitar as relações levando a problemas conjugais.


2 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page