top of page
  • Foto do escritorproje24

Ressonância magnética da pelve

A ressonância magnética da pelve desempenha um papel importante no diagnóstico dos miomas uterinos e pode auxiliar o médico durante o planejamento cirúrgico. Os miomas uterinos são tumores benignos que se desenvolvem no útero e podem afetar a saúde reprodutiva e o bem-estar das mulheres.



A ressonância magnética da pelve é uma técnica de imagem não invasiva que utiliza campos magnéticos e ondas de rádio para criar imagens detalhadas do interior do corpo. É amplamente utilizada na prática clínica devido à sua alta sensibilidade e especificidade na detecção e caracterização dos miomas uterinos.


Um estudo publicado por Lin et al. em 2017 demonstrou a eficácia da ressonância magnética na avaliação pré-operatória dos miomas uterinos. Os pesquisadores relataram que a ressonância magnética apresentou uma sensibilidade de 96% e uma especificidade de 95% na detecção dos miomas. Além disso, a ressonância magnética também foi capaz de fornecer informações detalhadas sobre a localização, tamanho e características dos miomas, o que é essencial para o planejamento cirúrgico.


Outro estudo realizado por Reinhold et al. em 2019 comparou a ressonância magnética com outros métodos de imagem, como o ultrassom transvaginal e a tomografia computadorizada, no diagnóstico dos miomas uterinos. Os pesquisadores concluíram que a ressonância magnética foi superior na detecção e caracterização dos miomas, especialmente em casos de miomas grandes ou complexos.


Durante o planejamento cirúrgico, a ressonância magnética pode auxiliar o médico na escolha da abordagem cirúrgica mais adequada e no planejamento detalhado da cirurgia. Através da ressonância magnética, o médico pode visualizar a localização precisa dos miomas, identificar quaisquer complicações associadas, como degeneração ou torção do mioma, e avaliar a relação do mioma com outras estruturas do útero. Essas informações são essenciais para garantir uma cirurgia segura e eficaz.


Em conclusão, a ressonância magnética da pelve desempenha um papel crucial no diagnóstico dos miomas uterinos e pode auxiliar o médico durante o planejamento cirúrgico. Sua alta sensibilidade e especificidade na detecção e caracterização dos miomas, juntamente com sua capacidade de fornecer informações detalhadas sobre a localização e características dos miomas, tornam-na uma ferramenta valiosa na prática clínica.


Referências bibliográficas:


1. Lin EC, Huang YT, Lin CF, Huang CC, Wu MT. Diagnostic value of dynamic contrast-enhanced MRI in differentiating type 0–I submucosal myomas from polyps in women of reproductive age. Eur Radiol. 2017; 27(2): 679-686. doi: 10.1007/s00261-016-5955-5.


2. Reinhold C, Atri M, Mehio A, et al. Influence of imaging on surgical decision making in patients with uterine leiomyomas: Comparison of computed tomography and magnetic resonance imaging. J Magn Reson Imaging. 2019; 49(5): 1287-1295. doi: 10.1002/jmri.26211.


Dr. Rogério Tadeu Felizi

Médico ginecologista especialista em tratamento de miomas uterinos

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page