top of page
  • Foto do escritorproje24

Tratamento mioma

O tratamento dos miomas uterinos deve ser sempre individualizado, pois é preciso considerar fatores como:



Idade da mulher;

Presença de sintomas;

Localização e tamanho das lesões;

Quantidade de miomas uterinos;

Desejo de engravidar.

Mulheres assintomáticas e que não desejam engravidar, habitualmente, não precisam de tratamento, mas devem ser acompanhadas regularmente pelo seu médico para avaliar se o mioma uterino regrediu ou aumentou de tamanho.


Em casos em que a mulher apresenta sintomas que incomodam sua rotina e impactam negativamente a sua qualidade de vida, o médico pode indicar o uso de algumas medicações, sendo as mais recomendadas: anticoncepcionais orais combinados, analgésicos, progestágenos isolados, análogos do hormônio liberador das gonadotrofinas e anti-inflamatórios não esteroidais.


Porém, o tratamento definitivo dos miomas uterinos é cirúrgico. Ele é recomendado quando os miomas uterinos causam sintomas importantes – como dores e sangramentos excessivos –, se forem do tipo submucoso ou quando apresentam grandes dimensões.


Existem dois tipos de procedimentos que podem ser indicados, dependendo do caso: miomectomia ou histerectomia.


Na miomectomia, retira-se apenas o mioma. É um procedimento mais indicado para a mulher que deseja engravidar, porém, há chances de recidiva da doença. Já na histerectomia, é feita a retirada total do útero. Essa indicação normalmente ocorre quando os miomas uterinos são volumosos e quando a paciente já tem prole constituída. Ambas podem ser feitas por videolaparoscopia, um procedimento menos invasivo e que promove uma rápida recuperação.


3 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page